Tuesday, September 14, 2010

Entrevista: Flávia Liz, Personal Guide (SP)

Avalie: 
Em maio escrevi aqui no blog o post "Viajando para São Paulo" e contei um pouquinho sobre as principais formas de se chegar na cidade. Uma leitora, a Gabriela Borini deixou nos comentários uma dica de uma personal guide que faz tour personalizados pela cidade. Essa personal guide é a Flavia Liz.

A Flavia é a pessoa certa pra conversar quando o assunto é São Paulo. Ela conhece todos os cantinhos e todos os lugares especiais da cidade. Seu trabalho é mundialmente reconhecido, com reportagens publicadas em vários lugares do mundo. Mas não bastasse tudo isso, a Flavia é a simpatia em pessoa, além de ser linda, claro.
Conversei com ela e ela topou dar uma entrevista pro AaM dando algumas dicas de lugares bacanas para se conhecer - ou rever. Mas se você acha que em São Paulo só tem museus, mercado municipal e parque do Ibirapuera, vai se surpreender. Vem comigo. Quem quiser saber mais sobre ela, os contatos estão no final do post.
Arrumando a Mala: Você já viajou pelo Brasil e pelo mundo, morou em diversos países. O que é possível somente em São Paulo e que o turista que deseja sentir a cultura "típica" da cidade não pode perder? 
Flávia Liz: Puxa, tanta coisa....como costumo dizer para os meus clientes, amigos e parentes: São Paulo é a capital dos contrastes! Contraste entre milhardários e miseráveis, entre o antigo e o ultra moderno, entre o luxo e o polular-cafona: só aqui você consegue passear numa selva de verdade (parque do Trianon) no meio da principal avenida da cidade (Av. Paulista) que é uma verdadeira selva de pedras; em que outra megalópole você encontra tribos indígenas dentro do perímetro urbano, cujos índios só falam tupi guarani entre si? Adoro sair do mosteiro de São Bento e dar de cara com 2 lindos painéis de arte contemporânea e atravessar o Viaduto Santa Ifigênia (e ver um grafite gigante d'os gemeos e o Viaduto do Chá com o belo Vale do Anhangabaú por debaixo.

AaM: Na sua opinião, que programa(s) é(são) furada para os turistas em São Paulo? Por que?

FL: Depende muito do tipo de turista, por exemplo: o museu do Ipiranga é muito fora de mão e é mais indicado para um brasileiro ou sulamericano. O Masp em se tratando de estrangeiro, eu só recomedo para quem é colecionador de obras de arte ou para quem vai ficar muitos dias na cidade (clarto que arquitetonicamente falando é um must), senão acho melhor recomendar a Pinacoteca do Estado e o Museu Afro Brasil, os quais possuem acervo de arte brasileira.

AaM: O que São Paulo tem de mais exótico a oferecer ao turista brasileiro?

FL: Depende muito dos interesses do turista, se ele é mais ou menos urbano, mais ou menos "coruja", enfim.
o Horto Florestal e o Parque Estadual da Serra da Cantareira, ambos ficam na maior floresta urbana do mundo e dá para ver e/ou ouvir macacos bugios, preguiças, jaguatiricas, etc.; dá para fazer observação de aves em vários outros parques da cidade dependendo de que tipo de aves o turista prefere ver; os artistas geniais da favela de Paraisópolis, os grafites super criativos e coloridos da Vila Madalena e do Cambuci, os ateliês de artesãos, estilistas, designers (dos mais simples e originais aos mais sofisticados), os bichos preguiça do Parque da Luz, em pleno centro histórico; os botecos de mais de meio século de vida, nossa, uma infinidade!
AaM: Como você recomenda ao turista explorar São Paulo? Qual é a melhor forma de evitar que o turista se frustre com a dificuldade de lomoção na cidade? 

FL: Realmente a locomoção é um problema na cidade: o metrô ainda tem poucas estações, a maioria dos ônibus não tem roteiro nem horário em português, muito menos em inglês, o trem também tem poucas estações e é complicado a ligação com o metrô, os táxis são meio caros e não falam idiomas estrangeiros.
Portanto a melhor forma de evitar que o turista se fruste seria comprando um ótimo guia turístico (vou citar aqui os melhores e mais completos na minha opinião - todos editados por enquanto apenas em inglês: Time Out São Paulo,Wallpaper City Guide São Paulo e Total São Paulo - a guide to the unexpected) ou contratando um guia de turismo, melhor ainda um personal guide (como eu!) por no mínimo 4h para se ter uma visão geral da cidade e do que vale a pena fazer sozinho depois. Durante os meus tours eu acabo dando mil dicas e conselhos valiosos para o turista fazer por conta própria, sempre de acordo com seu perfil, ou seja as dicas também são personalizadas, segundo os interesses do viajante.

AaM: O que você recomenda ao turista experiente, que quer sair da rota do turismo convencional em São Paulo?

FL: Sempre recomendo a todos os turistas (independente de serem ou não experientes) começar pelo centro histórico e depois visitar também os outros bairros mais antigos como Pacaembú, Higienópolis, Jardins, etc, para entender por que a cidade (relativamente longe da costa) cresceu e está bombando tanto....
Depois recomendo explorar as lojas de design, centros culturais, livrarias conceituais, galerias de arte contemporânea, ateliês de artistas, de artesãos, de designers, principalmente nos Jardins, Itaim, Vila Olímpia e Vila Madalena. 
AaM: Que dica(s) você dá ao turista que está indo a São Paulo pela primeira vez?

FL: Bom, eu diria que o ideal seria começar pelo centro velho, visitando o Páteo de Colégio, onde a cidade nasceu (foi a primeira escola católica do continente americano), o CCBB - Centro Cultural do Banco do Brasil (inclusive descer de elevador antigo para o cofre que se tranformou em espaço expositivo no subsolo), a Bovespa com seu centro de memória, o Mosteiro de São Bento e seu canto gregoriano, a vista do Edifício Martinelli que abriu sua vista ao público após anos fechado, as exposições de arte de alto nível na BM&F, tudo isso a pé na zona de pedestres. No centro novo não pode-se esquecer do Teatro Municipal (ainda fechado para reforma [em setembro, 2010]), a Sala São Paulo tem uma ótima visita monitorada, a Estação Pinacoteca e a Pinacoteca do Estado (ambos com o mesmo ingresso) não possuem apenas um excelente acervo, mas também intervenções arquitetônicas incríveis, a Estação da Luz (com o ultra interessante Museu da Língua Portuguesa), o Parque da Luz, o Mosteiro da Luz (projetado e construído pelo Frei Galvão - primeiro santo brasileiro), o Mercadão e o Copan. Seguindo, sempre em ordem cronológica pode-se dar uma passada na Liberdade, nas casas dos barões de café e nos edifícios modernos de Higienópolis, Pacaembú (com o interativo Museu do Futebol), Avenida Paulista com seus centro culturais, principalmente a Casa das Rosas, Jardins, Jardim América, Jardim Europa, Parque do Ibirapuera.
Se a pessoa não tem muito tempo, pode fazer tudo isso numa mesma tarde ou manhã, de forma mais gostosa e rápida com um guia de turismo em 4h, 5h de tour de carro com paradas.
Caso o visitante tenha mais tempo pode-se incluir o bairro do Morumbi (primeira plantação de chá do país, que não é o melhor bairro da cidade como a Rede Globo sempre insiste em frisar, mas é repleto de mansões quase hollywoodianas, o segundo maior estádio de futebol do Brasil com museu do São Paulo Futebol Clube, Palácio do Governo, Fundação Maria Luisa e Oscar Americano, Casa da Fazenda do Morumbi, Capela do Morumbi, Casa de Vidro, Bosque do Morumbi Alfredo Volpi, parque Burle Marx, Favela de Paraisópolis, cemitério do Morumbi (túmulo Ayrton Sena), Casa do Caxingui), Butatã (Usp, sem deixar de visitar o Mac; Instituto Butantã e Casa Bandeirista) e a Vila Madalena repleta de lojinhas, ateliês, marcenarias, barzinhos, bistrôs, restaurantes, baladas, cantos e recantos.

AaM:  Não se pode ir embora de São Paulo sem...? 

FL: ...conhecer a Casa de Pedra, a oficina do Seu Berbela e a casa de garrafa pet do Antenor (as três na favela de Paraisópolis);
...subir no alto do Skye no Hotel Unique, assim como no edifício Altino Arantes (ex Banespão) que eu costumo chamar de forma carinhosa de fake Empire State Building, ambas gratuitas, fora que uma vista completa a outra;
...provar a tapioca do Seu Francisco na feira de terça da Rua Bandeira Paulista no Itaim;
...fazer a Trilha da Pedra Grande;
...visitar nossas casas-museu como Lasar Segall, Ema Gordon Klabin, Maria Luisa e Oscar Americano;
...experimentar o pastel da Dona Maria na sua pastelaria na Rua Fradique Coutinho.
puts, é difícil elencar....não vai ter espaço para tanta coisa bacana e imperdível!!!!

Quem quiser contratar a Flavia pra fazer um tour super especial em São Paulo, consegue encontrá-la nos contatos abaixo: 

(+55 11) 8119-3903
(+55 11) 3032-2692
(skype)  flavializ-sp
Flavia, super obrigada por ter dedicado seu tempo e sua paciência para nos atender.

4 comments:

Anonymous said...

Sem dúvida, o trabalho que a minha amiga Flavia Liz realiza em Sampa é de excelência! Já experimentei, assim como já dei de presente pra vários amigos gringos os tours dela ... todos saíram da cidade alucinados com o que viram ... querendo voltar e já recomendando pra outros amigos e familiares ...
Tenho orgulho do que ela faz pela nossa cidade ... essa divulgação positiva é super importante e está sendo muito valorizada!

Anonymous said...

Como "gringo" europeo, foi um dos primeiros que tive a sorte de cruzar a Flavia Liz lá em Sampa.
Sempre tive ideia errada da capital paulista, mas com a exelência do trabalho da Flavia Liz, fiquei com a impressão certa, de uma cidade que é, sim, selva de pedra, mas que tem uma alma e um carater surpreendetes e que precisam ser descubertos.
A gente fica sem palavras e com vontade de fazer novamente o tour com a Flavia Liz, e de voltar na cidade quanto mais antés.
Se eu fosse paulistano teria o maior orgulho do que ela faz, do valor que ela dá a cidade que a criou.
Minha querida São Paulo, se estou perdidamente IN LOVE com você, é por causa do trabalho incrivel da Flavia Liz, obrigado então as duas!

Ana Tereza Merger said...

Oi Amiga Blogueira, passei para avisar que o "Persa Brasileiro na Provence" mudou de visual e de endereço: www.naprovence.com. Venha me visitar quando puder! Beijos e até breve.

Silmara Colombo said...

"São Paulo é tudo de bom" e às vezes fica mesmo esquecida como opção de turismo. Sou paulistana por nascimento, estou longe desde pequena, mas sempre há um bom motivo pra voltar lá. Tem um vídeo bem legal de divulgação da cidade no meu blog. Dá uma olhada:
http://deturistaaviajante.blogspot.com/2010/07/video-sao-paulo-2010-parte-i.html