Tuesday, September 7, 2010

Rio de Janeiro: Lagoa

Avalie: 
Fim de tarde de um maravilhoso dia de sol, céu anil, vento no rosto... Para os íntimos, só Lagoa basta. Mas, para quem está vindo ao Rio pela primeira vez, estamos falando da Lagoa Rodrigo de Freitas, um dos meus points de lazer favoritos, diga-se de passagem.


Ainda não se localizou?! Sabe aquela árvore de Natal gigaaaaaante, que todo fim de ano é inaugurada no meio de uma lagoa no Rio de Janeiro? Então. É bem ali no meio da Lagoa que ela fica. Aproveito para adiantar àqueles que não se contentam em ver nada de longe: é fácil descolar com os pescadores um passeio de barco até bem perto da árvore (cerca de R$ 10,00 em janeiro deste ano).

Assim como a Thais, eu adoro andar de bicicleta e a via compartilhada entre ciclistas e corredores é a sensação deste bairro circundado por prédios novíssimos e casas antigas. Todos os dias você encontra pessoas caminhando, andando de bike, correndo. Esse é o público principal, mas esteja atento e você verá também skatistas, patinadores, jogadores de futebol, jogadores de tênis, famílias inteiras aproveitando o dia, gente reunida em torno de um piquenique, galera que adora uma musculação etc etc. De dia ou à noite, fins de semana e feriados são sempre lotados - de muita gente bonita.




A Lagoa Rodrigo de Freitas está localizada entre os bairros Gávea, Jardim Botânico, Humaitá, Copacabana, Ipanema e Leblon - isto é, a nata da Zona Sul da cidade. Por isso, uma boa pedida pra um lindo dia de sol é aproveitar a manhã na praia (Ipanema, Copacabana ou Leblon) e em seguida tirar a tarde para curtir a Lagoa, que tem extensão total de 7,8 km. À noite? Estica em algum barzinho por lá mesmo que tá tudo certo.

Fazer o quê?
Conhece aquele feeling de renovação, capaz de tudo, como se fosse o dono do mundo? Pois é, sou eu depois de uma dar uma volta completa na Lagoa.

Sozinho, com amigos ou com familiares, você pode ir a pé (o percurso leva em média 2h30min) ou de bicicleta (30 a 40 minutos, sem parar). É possível alugar uma boa magrela em diversos pontos da Lagoa; há opções de bicicletas de 2 ou 3 lugares; para adultos e crianças; e tem até para famílias inteiras. Em média, o aluguel da bicicleta comum custa R$ 7 (por 30 min) ou R$ 10 (por 1 hora).

O Sr. Cristino, um nordestino que é a simpatia em pessoa, oferece bicicletas no Parque dos Patins, próximo ao Jardim Botânico. Super recomendo alugar com ele, que entende de manutenção das bikes e pode ajustar qualquer uma ao gosto do freguês. Mas todos que trabalham por lá são gente boa e quem sabe você consiga um preço amigo para o dia inteiro?

Outra opção é pegar uma pelo Mobilicidade, um serviço de transporte alternativo ao trio ônibus-carro-metrô que começou a ser oferecido aqui no Rio em dezembro de 2008. Parece ser bem simples: basta ligar para do seu celular para o número que eles fornecem e retirar a bicicleta da estação (são 19 ao todo, espalhadas pelos bairros marcados no mapa abaixo). Segundo o site oficial, viagens de até 60 minutos são gratuitas, desde que sejam realizadas com intervalo de pelo menos 15 minutos entre elas. Como sempre alugo com os camaradas na Lagoa, compartilho aqui a experiência do blog Feliz Cidade Feliz, que testou o serviço do Mobilicidade em junho deste ano.

Ainda para quem curte pedalar, é possível alugar um pedalinho e se esforçar, junto ao seu amor ou amigo(a), para chegar até o meio da Lagoa. Haja perna e disposição, viu... Fiz isso umas duas vezes para nunca, nunca mais.

E para quem gosta de calmaria: o pedaço próximo à Ipanema tem uma área verde incrível, onde as pessoas estendem uma canga, fazem piquenique, leem um livro. Cuidado com as baratas, que por ali circulam em massa, especialmente perto dos deques. Na semana passada me sentei por 5 minutos para falar no celular e a danada já estava subindo no meu pé. Nojento.

Após a volta completa, paro no Sr. Cristino para beber uma água de coco (R$2,50) ou mineral (R$2,00) e dar aquela relaxada, admirar a paisagem, o dia, como viver é lindo... Mas se der sede no meio do caminho, fique tranquilo: há inúmeros quiosques e carrinhos vendendo essas e outras bebidas.

A esticada em algum barzinho é fundamental. A oferta é grande e há opções para todos os gostos (em matéria de preço, são um pouco mais caros do que a média). Recomendo passear pela Lagoa prestando atenção no movimento, na galera que se reúne em tal local, na música que ali toca. Ouça sua intuição e na certa você vai sentar em um bar ou restaurante que é a sua cara.

Só vejo um problema: o cheiro ruim da água, que se acentua nos dias de sol a pino. Mas após um rejuvenecedor dia de sol na Lagoa, é broxante encarar um dia nublado ou chuvoso lá. E um conselho amigo: nos dias úteis (exceto sexta) evite passear pelos pontos mais isolados tarde da noite. O Rio é uma cidade grande e sempre há risco de assalto.

3 comments:

JP E Evelyn said...

Car@ amig@,

Obrigado pelo link no nosso blog - FelizCidadeFeliz. Realmente uma pena não termos conseguido usar o sistema Mobilicidade, mas não deixamos de nos encantar com a Lagora e com outros cantos do Rio de Janeiro.

Acabo de postar um relato no mesmo blog sobre uma viagem que fiz pela Rio Santos, de São Paulo até Angra dos Reis. Espero chegar até o Rio de Janeiro na próxima.

Grande abraço,

JP

Jorge Ramiro said...

Acho que a melhor coisa sobre o Brasil é o seu alimento. É claro, o melhor do Brasil é também pessoas, alegria e carnaval. Durante vários anos moro no Brasil e trabalho em restaurantes itaim. Estou muito feliz com este país.

thais said...

Oi, Jorge Ramiro,
o Brasil é realmente um país encantador. A gente viaja muito, e cada vez que sai daqui, gosta mais daqui.
De onde você vem?
Abraços
Thais