Friday, September 10, 2010

Rio de Janeiro: voando de asa delta

Avalie: 
Há cerca de dois anos fui a primeira vez para o Rio de Janeiro e entendi o que haviam me dito uma vez: a melhor forma de se conhecer a cidade é olhando ela de cima. Só assim para ter uma noção geral da dimensão de toda aquela beleza. Foi assim que eu escolhi o Rio para sediar meu primeiro (e até agora único) voo de asa delta.

O voo não foi durante aquela viagem. Eu tinha ido no reveillon, e durante a alta temporada os preços vão (perdoe o trocadilho) às alturas. Me lembro que eu estava na fila do bonde do Pão de Açúcar quando vieram me fazer a oferta do voo: era cerca de R$ 300 reais, e se eu não me engano nem incluía as fotos e o vídeo. Agradeci e recusei. Por esse valor eu pulo de pára quedas, muito obrigada.

Voltei para São Paulo mas não desisti da ideia. Comecei a pesquisar na net, e foi no orkut que achei o cara que me levaria para o céu da cidade maravilhosa. Ele, o mais carioca de todos os cariocas que eu já conheci, é o Ronaldo Freires, da escola de voo X Fly. Entrei em contato com ele pelo orkut mesmo. Ele tinha esquema de desconto pra quem era do Rio, que não era meu caso, mas eu conversei com ele, a temporada era baixa (acho que fui em julho, não me lembro exatamente), e fechamos por um preço bem razoável, mais ou menos metade do que era na alta temporada (não me lembro exatamente quanto, mas era algo em torno de R$ 160), já com fotos e filme inclusos. Na real eu não ia fazer as fotos e o filme, mas a gente acabou negociando um valor pras fotos e ele me "daria" o filme. No fundo eu acho que fazer as fotos vale super a pena. O filme só vale a pena se você editar depois, porque a maior parte do tempo é você voando com aquele puta barulhão de vento e sem sentir a adrenalina que você sentiu na hora. Se você for pagar a mais por ele, eu não acho que valha a pena.

Bom, fechados os valores, combinamos de nos encontrar próximo à praia de São Conrado. Eu ia pular de onde todo mundo pula, a Pedra Bonita. Combinei um horário cedo com ele, e ele foi bem pontual. Fomos juntos até a praia de São Conrado, deixamos nosso carro lá e subimos o morro que dá acesso à rampa de pulo no carro dele. Confesso que essa foi a parte mais emocionante do passeio, já que o motorista (e assistente dele) era um louco. No caminho fomos conversando muito, o Ronaldo é realmente um cara muito simpático e comunicativo.


Chegando lá em cima a vista já valia a pena todo o passeio. Aliás, quem quiser fazer só isso também dá. Parece que tem umas trilhas que dão acesso à rampa que dá pra chegar a pé, mas sinceramente eu não sei muito sobre isso. Se alguém quiser saber mais, coloca aqui no comment que eu pesquiso.

Lá ele te prepara, te dá um aulinha básica de como você deve correr, como deve se segurar, e o que não deve fazer, para que tudo corra na mais perfeita harmonia e segurança. Super fácil. A aulinha dura no máximo 5 minutos. Depois disso ele te conecta na asa delta, te mostra quantos cabos estão te segurando a ela, te deixa super segura de que você está fazendo a coisa certa, te lembra mais uma vez rapidamente do procedimento, e depois disso é só (literalmente) correr pro abraço.



A hora da corrida e do pulo é a mais emocionante de todo o voo. É quando toda a descarga de adrenalina pula no seu sangue, e de repente você tá correndo no chão e de repente você não está mais. E aí você olha pra baixo e não vê nada além de árvores lááá longe, um lindo mar azul, alguns urubus voando ABAIXO de você, e você percebe a imensidão e a beleza das coisas ao seu redor. Você esquece de tudo e pensa só no vento batendo no rosto, e no quão rápido você tá descendo, porque você quer que dure pra sempre.


O voo acaba na areia da praia de São Conrado. Fizemos um belíssimo pouso, muito suave e tranquilo. A hora do pouso é também muito emocionante porque ele toma muita velocidade antes de descer. Um voo de asa delta pode durar de 10 a 40 minutos, dependendo do vento. Eu tive azar e voei só uns 10. Mas valeu muitíssimo a pena, e eu voaria quantas vezes mais eu pudesse.




Uma dica: Vá com roupas confortáveis, sapatos fechados que não escorreguem facilmente (precisava falar essa?), e se estiver em época de inverno, vá com um casaquinho, porque é bem frio lá em cima.

Aqui em São Paulo também existem algumas cidades que possuem rampas de Asa delta. Não conheço nenhuma, não sei se funcionam no esquema de cada um por si ou se existem instrutores, mas sei que existe em Atibaia, Mogi das Cruzes, São Francisco Xavier, Santo Antonio do Pinhal, Mairiporã, São Vicente. Sabe de mais alguma? Tem alguma informação sobre elas? Conta aqui pra gente.

2 comments:

Ronaldo Freires said...

Querida valeu pelo post!!!1
Mas errou meu nome, eu sou ronaldo freires, rsrsrssr.
Beijos,
coloquei o link no meu facebook

thais said...

Ih, Rapaz! Que erro serissimo! Mil desculpas! O erro já está consertado.
Valeu pelo link!
Beijo