Tuesday, December 21, 2010

Itália 2010 - Toscana de carro

Avalie: 

Dias 6 e 7:


Preciso dizer (mais) alguma coisa ou isso é suficiente pra você alugar um carro e dar uma voltinha pela Toscana?

Essa belíssima região da Itália é irresistível e foi a surpresa da minha viagem. Minha prima, o marido e as crianças tiraram a sexta e o sábado para me levarem a Cetona, Chianciano Terme, Montepulciano, Siena, Montalcino e Pienza. Passamos por essas 6 cidades-vilarejos em cerca de 36 horas.

Saímos de Roma pela manhã, sol a pino, no carro da família. A paisagem Toscana pela Autoestrada A1 é realmente linda e, vira-e-mexe, estacionamos para fotos. Chegamos a Cetona (leia-se "tchêtona") lá pelas 13h. A cidade - um borgo de 2 mil habitantes - é mesmo só isso aí, uma praça. Mas a atmosfera é envolvente...


Lá, almoçamos na Osteria del Merlo. Não é muito difícil achá-la porque na praça de Cetona só existem mesmo 2 opções de restaurante (clique aqui para ver preços dos pratos) - e esse aí se destaca pela arquitetura.


Na estrada, paramos para fotografar La Frateria di Padre Eligio, um hotel 5-estrelas famoso por empregar somente pessoas que se recuperaram do vício em drogas.


Estacionamos em Chianciano Terme cerca de trinta minutos depois. Mas como não encontramos as famosas termas, seguimos para a medieval Montepulciano.


Essa cidade é uma gracinha e foi bem aqui, ao avistar o poço antigo, que captei de fato a energia apaixonante da Toscana. É fascinante visitar um lugar quase todo construído em pedra. O tempo parece retroceder centenas de anos e a sensação é de que, derrepente, estamos de fato na Idade Média.

Já estava escuro quando chegamos em Siena. Após o check-in no Hotel Minerva, andamos pela Via Montanini / Via Banchi di Sopra até a Piazza Il Campo.


É na Piazza Il Campo que a vida noturna acontece. Na pressa, sentamos para jantar em um bar. Tem uma coisa que você precisa saber sobre a Itália: jamais sente-se para comer em um bar. Não que os pratos sejam de todo ruins, não me entenda mal; mas sabe quando você sente que a comida é requentada? Se não acredita, experimente substituir um ingrediente. Aposto que, em 99% das vezes, o garçom vai dizer que "não pode, porque a comida já está pronta". Nos restaurantes, tudo é feito na hora. Já tínhamos pedido quando percebemos nossa dissimulação. E olha que tinha uma osteria bem ao lado...


Na manhã seguinte, voltamos à Piazza Il Campo. Siena atrai muitos turistas principalmente porque, nos dias 02 de julho e 16 de agosto de cada ano, esta praça vira palco para sediar o Palio di Siena, a tradicional corrida de cavalos da cidade, realizada desde o século XVII. Os montadores se vestem à caráter e as arquibancadas ficam apinhadas de torcedores balançando suas bandeirolas e cantando hinos.

A piazza é famosa também pelo chão inclinado, um inteligente sistema de escoamento das águas das chuvas. Perfeito pra se esparramar e curtir o solzinho nos dias gelados.


Além disso, os traços medievais são evidentes: o banco Monte dei Paschi di Siena, fundado em 1472 e portanto um dos mais antigos do mundo; as argolas-campainha nas portas de madeira; e aros para prender os cavalos nas paredes de pedra.






Pé na estrada novamente, a
vistamos os fabulosos vinhedos dourados e paramos para fotografá-los:










Mas, antes, Valentina e
eu aprendemos in loco a textura da terra arada, remexida, pronta para o plantio. A











pós cinco passos adentro do terreno, sentimos a



caminhada difícil, pesada, como se tivéssemos pisado em dezenas de chicletes mascados.


























Olhei pra baixo, as solas e as laterais dos nossos sapatos cobertas de lama barrenta.
Foi divertido usar gravetos e pedras para raspar o barro, porque a



grama, além de rala demais para arrastar e limpar os pés, estava molhada. Conclusão: pra não sujar o carro, andei de meias e Havaianas no restante da viagem.




Almoçamos na silenciosa Montalcino, região famosa pelos vinhos, de frente para o Castelo Banfi, construção etrusca de 1331:


Antes de voltar para Roma, terminamos o sábado tomando chá enquanto observamos o sol se por em Pienza:


Antes daqui, passei por:

7 comments:

Leda Fagundes de Lima said...

As informações sobre a Toscana são ótimas e vão me ajudar muito. Adorei!!!!

Fernanda said...

Olá !!Adorei as dicas...vou viajar no final do ano pra toscana tb!!Queria saber em que epoca do ano vc viajou?Estou indo no inverno,em dezembro ,então gostaria de saber mais ou menos o clima de lá nesta época..Muito obrigada!!

thais said...

Oi, Fernanda,
eu viajei nessa época, passei o natal e o Reveillon lá (você consegue ler a minha viagem pra Itália em janeiro de 2010 (http://arrumandoamala.blogspot.com/2010_01_01_archive.html). Nessa época o clima é frio e bastante chuvoso. Peguei chuva quase todos os dias, mas não inviabilizou nenhum passeio, porque eram chuvas relativamente fracas. Não cheguei a pegar neve, mas lembro que um ou dois dias antes de eu chegar o aeroporto de Milão chegou a fechar por causa da nevasca. Portanto, vá preparada.
Boa viagem. E depois volta aqui pra contar como foi.

Fernanda said...

Obrigada Thais!!
Esse é a minha duvida,pq muitas pessoas dizem que não chove muito ,mas que é muito frio..Bom tomara que eu de sorte e só faça dias lindos!!Mas de qualquer maneira o blog esta me ajudando muito com dicas de o que fazer e onde comer!!Obrigada!!Qdo voltar conto td pra vcs!!

Fenesa said...

Thaís,

Estou indo com minha esposa no final de ABRIL. Não pensava em conhecer Toscana, mas seu blog me convenceu.
No entanto, você considera possível dois leigos conhecerem a região de carro? Ou você acha que só foi produtivo porque estava com locais?
Obrigado!

Belíssimo blog!

thais said...

Olá, Fenesa,
esse depoimento é da Amarílis, foi ela que fez a viagem de carro. Eu só viajei de trem (você consegue ler a minha parte da viagem pra Itália em janeiro de 2010 - http://arrumandoamala.blogspot.com/2010_01_01_archive.html), e foi ótimo, também. Eu pensei em alugar um carro, mas na época não valia a pena financeiramente. Também fiquei com um pouco de medo pois quando fui (dezembro/janeiro) era época de neve, e com a falta de experiência em dirigir na neve achei melhor não arriscar.
De qualquer forma, minha opinião é de que, se você tem essa oportunidade, aproveite. Com um carro, um mapa e um GPS você consegue chegar a lugares onde o trem não chega, e conhece lugares e paisagens muito especiais. Certamente vocês farão uma viagem inesquecível.
Depois não esquece de contar pra gente como foi, ok?

Fenesa said...

Obrigado pela resposta!

Estamos indo em Abril, e gostaria de saber qtos dias vcs acham necessarios para conhecer essa região? Estou pensando em 2 dias em Firenze e 2 para as cidades próximas, caso consigamos alugar um carro. Por falar em alugar carro, é realmente necessaria a habilitaçao internacional?
A vontade de conhecer essa regiao [e imensa, obrigado pelo post e fotos!
Obrigado!!