Monday, October 24, 2011

Cidadania húngara

Avalie: 
Hoje meu post não tem muito a ver com viagens em si, mas tem a ver com países e cidadania, então achei que era válido. Acho que eu nunca contei por aqui que eu sou descendente de húngaros. Na verdade a Hungria é só parte da minha descendência (também tenho parte italiana e parte espanhola). Meu avô por parte materna nasceu em uma região da Hungria que hoje é parte da Croácia – a Hungria perdeu muito do seu território ao longo da sua história. Até o ano passado, pessoas como eu, que eram descendentes de pessoas que nasceram em áreas que não pertencem mais à Hungria, não tinham direito a requerer a cidadania. A partir desse ano as leis deles mudaram, e eles estão aceitando que essas pessoas entrem com processo, com a ressalva que se saiba falar a língua húngara.

Eu nunca tinha tido muito contato com a cultura húngara, pois a minha família (digo família: mãe, pai e irmão) nunca foi muito ligada a isso. Com essa história de cidadania, fui atrás e comecei a aprender a língua – que é uma das mais difíceis de serem aprendidas, por não se parecer com nenhuma outra que a gente conhece. Fui descobrindo o quanto é gostoso resgatar a herança cultural de um povo que é parte de você, e cada vez mais estou me envolvendo nisso. Agora estou entrando no grupo de danças folclóricas húngaras, e sempre tem um evento, uma festa, uma apresentação para ir. É muito gostoso fazer parte disso.

Se você também tem descendência húngara (mas isso serve para qualquer outra), sugiro que você recupere a sua herança cultural, que é muito rica. Se houver interesse em aulas de húngaro, ou aulas de dança (em São Paulo), entre em contato com a Associação Húngara 30 de Setembro.

Para mais informações sobre a nova lei de cidadania húngara, visite o site Cidadania Húngara.

Sunday, October 16, 2011

Próximos destinos

Avalie: 
Mês que vem parto para uma curta viagem pela Europa. Serão apenas 10 dias, quando passarei por Londres e Budapeste. Em Londres irei visitar uma amiga, portanto não terei dicas de hotéis, mas espero voltar de lá com dicas de buracos que só os legítimos londrinos podem oferecer. Já em Budapeste ficarei 4 curtos dias, depois conto se foi suficiente pra conhecer um pouco da beleza que dizem que é aquele lugar.

A saber: para nenhum dos dois lugares é necessário ter visto para entrar. Apesar dos dois países fazerem parte da comunidade europeia, nenhum dos dois usam o Euro como moeda (embora os húngaros aceitem o Euro). A Inglaterra usa a Libra, e a Hungria usa o Forint (pra converter essas moedas pro Real, use esse site).

Mês que vem volto pra contar mais.