Saturday, December 31, 2011

Budapeste – Hotel e moeda corrente

Avalie: 
O hotel
Ficamos num hotel chamado Erzsberet City Centre, que é da rede Danubius Hotel. A título de curiosidade: Erzsberet é o nome húngaro da rainha Elizabeth, também conhecida como Sissi. Seu nome e sua figura aparece em todos os lugares, então lembre-se desse nome.


O hotel é simpático, limpo, o quarto tem um tamanho honesto. Mas o melhor de tudo é a localização. Ele fica bem no coração de Peste, o lado mais agitado de Budapeste (a cidade é dividida pelo rio entre Buda e Peste). Tem uma estação de metrô bem pertinho, a Vörösmarty Tér, que quebra o seu galho tanto nos passeios quanto pra chegar no aeroporto, e também é próxima a Váci Utca, rua mais famosa de Budapeste.

O preço gira em torno de 50 euros a diária, mas não sei dizer quanto eu paguei porque eu peguei um pacote com terrestre + aéreo direto de Londres. O que eu posso dizer é que saiu bem barato.

Sobre a moeda – Importante
Embora a Hungria tenha entrado para a União Europeia, eles não aderiram ao Euro. Eles ainda usam sua moeda antiga, o Forint (se fala como se lê). É uma moeda bem desvalorizada com relação ao Real. Eles até aceitam o Euro em alguns lugares, mas o troco virá em Forints. Cartões de crédito são bem aceitos.

Eu não comprei Forints aqui no Brasil, não sei se existem casas de câmbio que troquem para Forint. Aqui em São Paulo talvez no Shopping Eldorado troque. Eu troquei para Euro e lá na Hungria eu troquei para Forint, mas acredito que se conseguir trocar direto para Forints direto aqui no Brasil seja bem melhor.

Sobre os Serviços
Ouvi muita gente dizer que era difícil encontrar pessoas e cardápios escritos em inglês em Budapeste. Talvez isso fosse verdade há algum tempo. Mas não é mais. Quando fui lá me surpreendi com a quantidade de garçons falando inglês (e bom inglês), e todos os cardápios com traduções para o inglês. A única vez que encontrei alguém que não falava inglês foi quando nos afastamos muito do centro e encontramos uma senhorinha de uns 70 anos trabalhando num restaurante. Mas aí já é pedir demais, né?

No comments: