Thursday, December 29, 2011

Budapeste

Avalie: 
Fui pra Budapeste com a minha amiga de Londres, então foi uma viagem mais divertida. Ao contrário da Amarílis, eu não gosto muito de viajar sozinha. Como em Londres eu passei a maior parte do tempo sozinha, acho que perde metade da graça. Tem gente que gosta, mas não é o meu estilo.

O transporte
Chegamos em Budapeste já à noite, e tínhamos que chegar até o hotel. Porém, não sabíamos direito como fazer para comprar tickets de ônibus e metrô. Resolvemos arriscar e fazer a viagem sem eles, mas a minha dica é para não arriscar muito, pois os fiscais podem aparecer a qualquer momento, e eles não usam nenhum uniforme. Se eles te pegarem sem ticket, você terá que pagar uma multa e parece que não é muito leve. Depois descobrimos que os tickets podem ser comprados em máquinas no metrô (alguns pontos de ônibus têm também). Eles podem ser unitários, em bloquinhos de 10, ou podem ser travel tickets (de um, três ou sete dias). Com esses travel tickets você pode entrar quantas vezes quiser nos meios de transportes disponíveis, e também em algumas atrações turísticas, tudo incluso no mesmo preço (não sei como é feita a validação deles). Mas ele só vale a pena dependendo da quantidade de vezes que você pretender pegar transporte e dos lugares que você for visitar. Veja direitinho quais atrações são pagas e quais não são, e se você realmente vai precisar pegar transporte, pois muitas coisas podem ser feitas a pé.

Nós escolhemos o bloquinho de 10 tickets para passar 4 dias, pois como íamos andar relativamente pouco de ônibus e metrô, acabava valendo a pena. Esses tickets devem ser validados a cada viagem que você faz (seja o metrô, o ônibus, o HÉV...). A validação deve ser feita numa maquininha, geralmente laranja, que tem próximo às portas do transporte. Normalmente você coloca o papel lá dentro e ela valida automaticamente. Em alguns casos acontece de ser manual. Nesse caso, você tem que colocar o papel e puxar um tipo de manivela. É fácil, mas eu nunca iria descobrir sozinha. Só descobri porque um cara viu nossa cara de interrogação e ajudou a gente.

Aqui nesse site tem falando um pouco mais sobre os transportes (em inglês). Tem o mapa do metrô de Budapeste, que tem uma malha relativamente pequena, mas que nos atendeu bem. A cidade também conta com uma extensa rede de ônibus (mas a gente nem precisou utilizar), o HÉV, que é um trem com integração com o metrô e leva a algumas cidades vizinhas, os bondes, e no verão também tem os barcos.

Nota importante: o transporte em Budapeste termina às 23h, embora funcionem alguns poucos ônibus noturnos.

Os passeios
Como a gente não fazia a menor ideia do que fazer em Budapeste, procuramos na internet por dicas, e achamos um site salvador (aliás, esse que eu já passei o link). Ele traça várias rotas e explica o que é cada ponto que ele marca (tudo em inglês, também). Pegamos as rotas que achamos mais interessantes e seguimos ispsis litteris como ele mandava. Aqui, nos próximos posts, eu vou contar quais foram as rotas escolhidas e quais foram as minhas impressões de cada uma.

3 comments:

Zrínyi Néptáncegyüttes said...

Olá, este blog é de um grupo folclórico húngaro. Gostamos muito de seu post sobre a Hungria.
Vamos entrar em contato?
Beijos.

thais said...

Oi, Zrínyi
pode me mandar email para bircak@gmail.com.
Beijo
Thais

thais said...

Aliás, acho que conheço você. Vocês não costumam dançar com o Pantlika?