Friday, December 2, 2011

Transporte em Londres

Avalie: 
Londres é um lugar que respeita a hierarquia dos meios de transporte, diferente do que a gente encontra aqui em São Paulo: o ônibus sabe que é maior que o carro, que por sua vez sabe que é maior que a bicicleta, que por sua vez sabe que é maior que o pedestre. Todos se respeitam, e o pedestre, que é o mais frágil, fica no topo da cadeira alimentar: é ele que tem a preferência na travessia de uma rua. Na medida do possível, o trânsito é um caos bem organizado. Mas na verdade, só usa carro quem é bobo. Londres tem uma rede incrível de transporte público, como eu já disse aqui nesse outro post. A malha metroviária deles é super extensa e chega até a grande Londres (consegui chegar por ela até a maravilhosa Greenwich, o centro do mundo, como vocês verão mais pra frente). Eles também têm o DLR, que também é sobre trilhos e é como se fosse um metrô, mas anda sobre a terra. Pra falar a verdade, não descobri a diferença entre ele e um trem.

E, além de todos esses transportes que a gente já está super familiarizado, eles ainda tem o rio! Sim, o famoso e lindo rio Tâmisa (ou Thames, em inglês) é navegável, e eles usam como um meio regular de transporte, além de passeios turísticos. O melhor de tudo é que ele é integrado com o metrô, e em estações-chave, como por exemplo, London Bridge, e Greenwich, aliás, estações que eu usei. Com o Oyster você pode usar dos barcos como se fossem um ônibus. Daqui a pouco falo mais sobre o uso do Oyster no barco.

O Oyster e outros tickets
Mas voltando ao transporte público, o seu grande amigo nessa aventura é o Oyster. Esse cara de nome esquisito é um cartão tipo o bilhete único, que temos aqui em São Paulo, mas muito mais amigável. Eu não precisei comprar o Oyster porque minha amiga que me recebeu em Londres já tinha um sobrando, então não conheço muito sobre os trâmites para se comprar um, mas até onde eu sei, ele é bem fácil de ser adquirido, pode ser nas próprias estações de metrô, e depois quando você não for mais usá-lo, pode devolvê-lo. Vi uns postos de coleta de Oyster, só não sei se você recebe de volta seu crédito que eventualmente você tenha nele (alguém sabe?). Mas já que na minha primeira viagem de metrô eu não ia usar o Oyster, tive que comprar outro bilhete. Fui nas maquininhas automáticas – tem sempre um auxiliar pra caso você não entenda como as máquinas funcionam – e comprei um ticket pra um dia, que me dava direito a andar por todas as zonas. Já falo sobre as zonas (lá em baixo, quando eu falo sobre o débito no metrô). Com ele eu conseguia andar de metrô e ônibus normalmente, era só apresentar para o motorista do ônibus, e no metrô era só passar na catraca. Fácil, fácil.

No caso do Oyster, o sistema é muito mais simples. Uma vez que você tenha ele em mãos, a sua tarefa é mantê-lo sempre carregado. Se ele não estiver carregado, a catraca vai te avisar. Nesse caso, você consegue carregá-lo em qualquer estação de metrô e acredito que em qualquer estação de ônibus também.


Como ocorre o débito do Oyster: não vou saber falar a respeito de valores de passagens, porque, confesso, não prestei a mínima atenção nisso. Mas sei que existe um máximo por dia que ele debita do cartão, se eu não me engano era de 8 libras por dia, então se você pegar muitas conduções em um dia só, vai chegar uma hora que você vai começar a transitar de graça.

Como bater o seu cartão para efetuar o débito: 
- No ônibus: Em Londres não existe cobrador de ônibus. A máquina de débito do Oyster fica ao lado do motorista (no caso dos ônibus pequenos), e você deve encostar seu Oyster na máquina assim que entrar no ônibus. No caso de ônibus biarticulados, você pode entrar em qualquer uma das portas, e deve encostar o seu Oyster em qualquer uma das máquinas que ficam espalhadas ao longo do ônibus.
- No metrô: Londres é dividida por zonas. Central London fica na zona 1, e dali para a periferia vai passando pra zona 2, 3... até a zona 6. Quanto mais distante do centro, mais cara sua passagem vai ficar. Para controlar quanto você andou, você deve encostar o seu Oyster na entrada e na saída do metrô. Se você não encostar na saída, eles cobram a passagem mais cara, como se fosse uma multa, que se eu não me engano é de 7 libras e pouco. Portanto, jamais se esqueça de bater seu cartão, porque às vezes a catraca pode estar aberta e você, na distração, passar reto.
- No DLR: Funciona exatamente como o metrô. Tem que bater quando entra e quando sai.
- No rio: Eu não sei se em todas as estações funciona da mesma maneira, mas acredito que sim: eu peguei em Greenwich, e você comprava o bilhete com um cara numa cabine próximo de onde você embarcava. Ele passava o Oyster pra você na máquina que ficava dentro da cabine dele, e te entregava um papel que tinha o valor da passagem. Aí você entrava no barco e o fiscal só conferia a sua passagem na hora que você estava desembarcando. Não sei o que acontecia se você não tinha passagem. Talvez você fosse jogado no rio. Sei lá.

O ônibus
Os pontos de ônibus são facilmente reconhecíveis. Todos eles têm um poste com informações sobre as linhas que passam ali, e um abrigo de chuva, com mais informações sobre os ônibus. Fique atento, pois nesse poste vai conter uma das duas informações: BUS STOP ou REQUEST STOP. Se for a primeira, todos os ônibus que passam por aquele ponto irão parar, e aí é só você subir no seu ônibus de interesse. Se for o segundo, você deve fazer sinal para ele parar, senão ele vai passar reto.

Uma vez dentro do ônibus, haverá um letreiro dizendo quais são as próximas paradas. Isso facilita bastante quando você ainda não está familiarizada com o caminho.

O metrô
O metrô também é facilmente reconhecível pelo clássico símbolo de underground. Se achar dentro do metrô é fácil, mas você deve ficar atento aos mapas. Como são várias linhas, se você não estiver atento aos mapas pode facilmente pegar trem errado. Mas isso só acontece se você não estiver atento.
Dica: a district line, que é a verde, é muuuuuuuuito lenta. Se você tiver a oportunidade de pegar a central line (vermelha) ao invés de pegar a verde, escolha essa. Garanto que sua viagem será bem mais rápida.

Existem vários outros tickets para os transportes em Londres, mas sem dúvida o mais prático (e com melhor custo/benefício) é o Oyster. Se você quiser mais informações sobre os transportes em Londres, entra nesse site, é o Transport for London. Lá tem todas as informações que você pode precisar, inclusive as tarifas. Aliás, entrei lá agora pra dar uma olhadinha e percebi o quanto o negócio é complicado. No lado direito do site tem um box escrito "services updates" e umas paradinhas coloridas. É o tanto de linhas de metrô que eles têm. Sério, o metrô deles é MUITO extenso. E aí, finalmente, nesse link você consegue baixar o mapa do metrô e outros mapas, como de ônibus e do DLR... Entra lá e dá uma olhada. O do metrô você consegue pegar um mapinha bonitinho nas estações lá. Não precisa gastar a tinta da sua impressora, não.

No comments: