Sunday, August 19, 2012

Caminho do Sol – Planejamento parte II

Avalie: 
Estamos a mais ou menos 2 semanas da minha saída para a caminhada. Admito, estou bastante ansiosa. Semana passada fui assistir à palestra, que foi muito legal e muito elucidativa. O Claudio, senhor que deu a palestra, é um entusiasta apaixonado pelo Caminho. A palestra durou umas 3 horas, e pelo menos metade disso foi ele empolgado contando algumas histórias que ocorreram nos tantos anos que ele acompanha os peregrinos. Foi emocionante.

Lá ele falou sobre o caminho em si, para onde iremos, em quais pousadas iremos dormir, quanto custa em média cada uma, e outros tipos de detalhes que precisamos saber para fazer a caminhada sem percalços. Além disso, também deu algumas dicas, muito parecidas com o que eu já tinha lido (e que eu falei no post anterior). Eles dão um check list gigante de coisas que a gente deve levar para a caminhada, e ele ainda deu umas sugestões de coisas que não estão na lista, como apito de emergência (para caso você tenha um problema e esteja longe do grupo), e mini lanterna (para o caso de você querer ir ao banheiro no meio da noite e não ter que acender a luz do quarto).

Sobre o bastão de caminhada, ele falou que é realmente muito importante, pois sustenta 30% do peso do nosso corpo, principalmente em subidas (quando nos ajuda a ter força para subir) e descidas (que ajuda a nos freiar).

Então hoje, último final de semana vago que tenho antes da viagem, tirei o dia para ir fazer as compras dos equipamentos do check list. Fui lá na Decathlon, mas já falo sobre isso. Queria antes falar que no dia da palestra, que foi na loja Mundo Terra, eu aproveitei para comprar o meu tênis. No meu último post, eu disse que estava em dúvida entre dois modelos da Nômade, mas lá na loja eles me convenceram a comprar um da Salomon (mesmo porque nem tinha o da Nômade lá), que, segundo eles, é uma das melhores marcas. Não comprei o modelo mais caro, comprei um intermediário, que já é muito bom e acho que aguenta a bronca. Andei com ele por São Paulo nessa última semana para amaciá-lo, e em uma semana já achei ele bem amaciadinho. Gostei bastante, e acho que valeu o investimento. Foi bem carinho, por sinal.

Aí hoje lá na Decathlon eu comprei praticamente todo o resto do equipamento. Apesar da bagunça da loja, que torna o trabalho de encontrar produtos quase uma arte, consegui encontrar praticamente tudo. Comprei o bastão de caminhada, que eu não sei se é o mais adequado pois ele não tem a ponteira mais lisinha, só tem aquela que parece uma agulha. Mas dizia lá que era para todos os terrenos, então levei. Também achei o boné que eles recomendam, que é daqueles que cobre as orelhas e o pescoço, e embora eu ficasse parecendo o Chaves, eu comprei. Achei também a capa de chuva de cobre a mochila também, mas ainda não testei com a mochila. Meu marido falou que eu fiquei parecida com o Batman vestindo a capa. Eu fiquei me imaginando de capa de chuva com o boné. Vou ficar parecida com o Chaves fantasiado de Batman, eu acho.

Comprei mais meias, tops, camisetas dry fit. Não achei camiseta de manga longa, mas peguei emprestado da minha mãe. Também a calça que vira bermuda (aquelas que tem um ziper na altura do joelho) não me serviu, mas nem vou comprar. Vou com uma calça (também emprestada de mamis) e de bermuda por baixo, e aí se precisar, eu só tiro a calça. Vamos ver se funciona.

Achei o "cantil", que na verdade são aqueles sacos de água que você coloca dentro da mochila. Me parece bem prático.

Enfim, comprei bastante coisa, e cheguei à conclusão de que depois disso, terei que fazer muitas outras caminhadas para compensar o investimento. hehe. Para uma pessoa como eu, que não tinha praticamente nada, o investimento acaba sendo grande. Mas por ser uma caminhada pesada, estou investindo em coisas boas (principalmente o tênis), pois às vezes o barato sai caro, como diz o velho deitado. E quando eu voltar, conto o quanto o investimento realmente valeu a pena e o que não foi necessário.

Pensei em postar aqui o check list, mas acho que farei isso depois que eu voltar. Assim já coloco o que é realmente necessário, o que fez falta e o que sobrou. Pode ser?

Thais

Sunday, August 5, 2012

Caminho do Sol – o planejamento

Avalie: 
Quando decidi tirar minhas férias, resolvi que seriam 20 dias feitos para total descanso. Queria me isolar da humanidade e da civilização o máximo que eu conseguisse, pois estava (estou) muito cansada, tanto mental quanto fisicamente (acho que mais mental do que físico, talvez). Mas há muito tempo, talvez uns 3 anos, que estou ensaiando para fazer o Caminho do Sol. Para quem não conhece, explico: o Caminho do Sol é uma peregrinação inspirada em Santiago de Compostela, mas muito, muito, muito menor. São 240 km feitos em 11 dias, feitos em uma média de 20 a 26 km por dia. Ele começa em Santana de Parnaíba (SP) e vai até Águas de São Pedro (também SP).

Quando meu irmão disse que estava querendo fazer também e que conseguiria tirar férias na mesma época que eu, me empolguei e fui atrás. Resumo da história, vamos os dois (e quem sabe, até minha minha mãe) fazer o tal do Caminho do Sol daqui um mês.


Estou super excitada com a ideia, e tenho relativamente pouco tempo para ir atrás de tudo o que eu preciso. De tudo o que eu pesquisei até agora, aí vai um resumo:

• Para fazer o caminho, é necessária a presença em uma das palestras que eles dão, onde provavelmente explicam tudo sobre o caminho. Essa palestra é dada na loja Mundo Terra, que pelo que eu andei vendo, é bem carinha. Eles vão tentar vender umas coisas (afinal, tudo na vida é marketing, certo?), mas pesquise preços antes de ir, para saber se vai valer a pena comprar lá. Parece que pra quem assiste a palestra tem um desconto, mas não sei de quanto.

• Como eu já fiz um pedaço desse caminho (andei apenas 14 Km), sei que um bom tênis faz toda a diferença (na minha pequena experiência, eu perdi a unha do meu dedinho). Quando eu fiz, estava com o meu Timberland, mas com o tempo e a experiência (e experiência de outras pessoas), soube que Timberland não é uma boa marca. Agora estou atrás de uma chamada Nômade, que eu nunca tinha ouvido falar, mas é bem conhecida pra quem é do meio. Estou entre os modelos Titã ou X-Pro, mas preciso experimentar para saber. Elas têm uma tecnologia toda especial, e que a Timberland não tem, pelo menos até onde eu sei.
* Edição: Acabei optando por um modelo da Salomon, que descobri que é mais indicado do que o Nômade. Ele tem uma tecnologia melhor e é mais leve. Se você tiver uma graninha pra investir e amor pelos seus pés, vá nele. Não comprei o modelo mais caro, mas eles não são baratos. E na dúvida entre comprar um tênis e uma bota, opte pela bota, pois ela protegerá seu tornozelo de uma possível torção.  

• Meias para trekking! Isso deve fazer toda a diferença também. Sim! Isso existe. Elas também têm uma tecnologia toda especial, que diminui o impacto e o suor do pé. Pode parecer frescura, mas quando se está andando 25 Km por dia, nenhuma tecnologia especial é frescura.

• Bastão de caminhada: Eles diminuem o impacto no seu joelho e ajudam a tirar o peso das suas costas. A escolha entre usar um ou dois é de preferência pessoal. Eu usei um pedaço de tronco no final dos meus 14 Km e foi com isso que consegui subir a última ladeira. Sem isso, eu teria que ser guinchada.
Observação importante: não economize no bastão e substitua por um tronco. Nesse caso, seus pés ficarão sem bolhas, mas suas mãos ficarão com várias. Eu só usei um porque não tinha outra opção. Além do mais, eles não são muito caros. =)

• A mochila também tem que ser daquelas de mochileiro, que amarra no peito e na cintura. Isso ajuda a tirar o peso dos ombros. Muito importante. E deve ser o mais leve possível. Mulherada, favor deixar a maquiagem em casa. =P

• Filtro solar e boné. Nem preciso dizer mais, né? E isso independe de ser inverno ou verão.

•  Câmera fotográfica: não deve ser muito legal levar sua super máquina, apesar de você perder fotos maravilhosas no meio do caminho. Talvez valha a pena se sua mala estiver beeeem leve. Caso contrário, um peso de 1Kg ou 500g pode fazer muita diferença no final das contas. Tente levar uma máquina leve.

• Roupas que sequem rápido. Você vai precisar que elas sequem de um dia pra outro. Invista em roupas com essa característica.

Quem quiser mais informações sobre o caminho, pode entrar no site e ver as datas das palestras e saídas. Só fique atento às datas, pois o depósito para assistir as palestras (R$ 15,00) tem que ser feito 2 dias antes. O próximo vai ser dia 11 de agosto, em na Mundo Terra de Higienópolis.


Essas fotinhos são da minha primeira caminhada (não tinha muitas opções, não tirei muitas fotos). Essa aí de cima são as setas que indicam o caminho do peregrino para ele não se perder, já que nem sempre eles andam em grupos.

Não vejo a hora de ir pra lá de novo. Pode ser que eu não descanse meu corpo, mas minha mente certamente vai voltar beeeem descansada. E aí eu volto contanto tudo sobre a experiência. Segura aí que eu já volto!

Thais