Tuesday, October 14, 2014

Chile – De Santiago a La Serena

Avalie: 
Vou começar o post um pouquinho antes de Santiago. Vamos começar por São Paulo. Gosto de comentar os voos que pego, principalmente quando é um que eu gosto. Dessa vez voei de Gol, pela primeira vez. Fomos num Boeing 737-800, segundo eles com maior distância entre as poltronas. Meu irmão, no alto dos seus 1,92 m, aprovou. A Gol começou a fazer viagens para o Chile recentemente, e os valores estavam bem parecidos com os da Tam, um pouco mais baratos. Gostei bastante de voar com eles, exceto pela comida. MEU DEUS que comida horrorosa!!!!!!! Ok, na volta estava um pouco melhor, mas na ida não deu nem pra comer a sobremesa. E olha que desperdiçar a sobremesa não é pra qualquer um!

Fuso horário
Tomamos um voo noturno e chegamos lá de madrugada. Nos enrolamos com o fuso horário, que normalmente é de -4 GMT (1 hora a menos que o Brasil, ou seja, se aqui são 10, lá ainda são 9), porém eles estavam em horário de verão e estava igual ao nosso. Nós não nos atentamos a isso e passamos literalmente metade da viagem com os relógios errados. Só fomos arrumar quando realmente precisamos saber as horas, no Atacama, para fazer os passeios.

Hotel
Santiago foi a única cidade que fizemos reserva em hotel. O motivo disso é que era a única cidade que tínhamos certeza quando íamos chegar. Escolhemos ficar no Ibis, que além de ser relativamente barato, tem estrutura de hotel grande, é 24 horas, a gente não precisa ficar preocupado em ter que acordar o dono da pousada às 3 horas da manhã. Lá tem 3 Ibis, o Estación Central, onde ficamos, o Providencia, e o Manquehue Norte. São todos mais ou menos próximos, pelo menos no mapa. Escolhemos o que era mais próximo da locadora de carros. Essa foi a outra premissa para a nossa escolha de hotel.

Quanto à qualidade do hotel, é qualidade Ibis. É bom, confortável, bom atendimento, tem um café da manhã razoável, tem estacionamento, mas não ficava na melhor das vizinhanças. Mas também não era na pior.

Aluguel do carro
Bom, no aluguel do carro o bicho pegou. Eu tinha escolhido alugar na Localiza, lembra? Quando você faz a reserva do carro no site, eles vão te dando o valor total, conforme você vai colocando quantos dias de aluguel, se você vai devolver na mesma cidade ou não, e tal. Daí no final aparece o total, você dá ok e está reservado. Meu total tinha dado duzentos e poucos dólares, nós íamos devolver em outra cidade e ficar apenas 4 dias com o carro. Quando nós chegamos pra pegar o carro, eles fizeram o cálculo e nos passaram o valor de setecentos!!!! Sim, 700 dólares! E alguns trocados. Perguntei por quê, e eles explicaram que era devido a um percentual que se cobra por km rodado quando se devolve em outra cidade. Ou seja, além do aluguel, das taxas, você ainda paga um percentual pela kilometragem. Mas tudo bem, até aí eu estava sabendo, porque estava escrito no site. O que eu não sabia é que esse valor não estava sendo calculado no meu valor total que ele estava me mostrando. Achei muita sacanagem. Mas naquela altura, a gente não tinha muito o que fazer. Pedimos pra eles calcularem o valor total para ficarmos os 10 dias com o carro e voltarmos com ele para Santiago. Acreditam que ficava mais barato (cerca de U$S 590, com aluguel de GPS)? Fizemos por cima as contas de gasolina e pedágio*, e ainda assim valia a pena. Não tivemos dúvida, optamos pelo óbvio e pegamos o carro pelos 10 dias. E foi a nossa sorte. Porque a viagem saiu toda torta comparada com o planejamento inicial, e se dependêssemos do carro para executá-la, estaríamos fritos.

* Para ver os valores de gasolina e pedágio, vá para esse post.

Chegando em La Serena
Já contei no post anterior como é a qualidade das estradas, então não vou ficar me repetindo. Só vou dizer que esse foi o trecho mais fácil, mas não o mais bonito.

La Serena é uma cidade bem maior do que eu imaginava. Talvez pelo nome, pensava em uma cidadezinha fofa, cheia de charme, mas na verdade ela é grande, agitada, e o único pseudocharme dela é ser costeira. Mas justamente por causa disso, segundo um dos habitantes de lá, o tempo fica nublado praticamente todos os dias do ano, e chove quase todos os dias. Os dias lá são meio deprimentes.

Apesar disso, é nas redondezas que fica um dos melhores observatórios do mundo. Aliás, vários. Porque é em Vicuña, cidade vizinha, que fica um dos céus mais claros e estrelados do planeta. De lá de perto também tem vários passeios interessantes de se fazer, como a Isla Damas, uma ilha onde pode-se ver pingüins Humbolt, lobos marinhos, morsas, entre outros animais costeiros. Quis parar nessa cidade só pra fazer esses passeios. Qual não foi minha surpresa ao chegar lá numa segunda feira e descobrir que segunda e terça a ilha não abre para visitação. Pra fechar minha onda de azar, naquele dia o passeio para o observatório já tinha saído (eles saem às 19h da pousada, mas depois descobrimos que dá pra fazer um outro esquema. Depois eu conto melhor em outro post).

Decidimos ficar apenas aquela noite em La Serena, e não os dois dias previamente planejados, e
partir logo pela manhã para Chañaral.

Hotel em La Serena
Na ida ficamos em um Hostal chamado El Punto. É bem bacaninha. Pegamos um quarto com banheiro privado, pagamos 25 mil CLP pelo quarto + mil e pouco pelo café da manhã por pessoa (banheiros compartilhados saem por 18 mil). Eles fazem os passeios, tirei essa foto de lá. Mas acho que todos os hoteis lá devem fazer os passeios.


O hotel que eu fiquei na volta, que chama Hostal Avenue, também fazia. Eles mesmos que me disseram que não valia a pena fazer os passeios pela agência. Esse hostal é bem pertinho do El Punto, mais simples e mais barato também. Se for pra indicar, indico o primeiro, mas se sua grana está muito curta, o Avenue não é de todo mal.


No comments: